segunda-feira, 23 de março de 2015

Há hora de falar e de calar

De nada mais vale dizer o que já dizia
Bater na surrada tecla de dizer jamais
O que vale ou não vale, mais que tais
Tanto falar como calar constitui razia.

Não vale vociferar aqui o que não cria,
Como a discursar que está nos jornais,
Calando, tu acabas dizendo muito mais.
Como a dizer, bom pinto é que não pia.

Vale calar, o silêncio valorizar portanto
Se falas, e falando, o outro não escuta
Perdes oportunidade de calar um tanto.

E as regras sequer cabem nesta minuta
Mas, consequências te levam ao pranto
Eu afirmo: quando calas és filho da puta.

3 comentários:

  1. Gosto do seu jeito arrojado de escrever
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Pois é, e muitos quando têm de falar calam e calam quando têm de falar... foi o que aconteceu com o ex-diretor da Petrobras. Sonho de consumo de muitos que estão enrolados... Mas podem cair do cavalo na hora errada...

    ResponderExcluir