domingo, 26 de março de 2017

Feliz aniversário POA!


POA, alcunhada como cidade sorriso
O que pouca justiça portanto lhe faz
Realmente, quando nas suas ruas piso
Tenho sensação duma metrópole audaz.

Olho Praça da Alfândega e Rua da Praia
Mundo agitado dessa gente que ali passa
Um retrato vívido da imponente Gaia
Industriosa e bastante agitada massa.

Agita o domingo o Parque da Redenção
Lá, cuias e bombas, e muito artesanato
E portalegrenses, tão sérios como são.

Grande Portalegre, no sentido mais lato
Registro que por ti tenho certa paixão
E que por todos és querida mero fato.

sábado, 25 de março de 2017

Dimas

Em alta voz continuo eu clamando em vão
Talvez hesitante, talvez desesperado
Prevendo aprovação, mas receando o não
Até mesmo apresentando certo ar cansado.

Qual Diógenes, procuro com lampião
Um homem seja senador ou deputado
Bom, probo, e da honestidade um campeão
O qual, jamais dum erário tenha roubado.

Sei, político desse jeito é uma ilusão
Que pode manter todo cérebro ocupado
Porquanto todo bom político é ladrão.

Como Dimas, que de Jesus estava ao lado
Aquele que na cruz, Jesus deu absolvição
Mas que agora se arrepende de ter salvado.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Floripa faz anos


Ilha tão gentil, airosa que a mim assiste
Lugar que me deixa tão tranquilo e contente
Hei de canta-la agradecido eternamente
A vida que levo, que não me deixa triste.

De suas praias donde a beleza subsiste,
O que de melhor desta vida se consente,
Dá ao turista muita paz, praia e sol ardente
E num ótimo acolhimento tu consiste.

Se me fora presenteado merecer-te
Tanta animação de vida me conquistou
E nem imagino num momento perder-te,

Regalo-me porque nesta Floripa estou
Realmente desejo pra sempre assim ver-te,
O melhor, fez-me o quase poeta que sou.

Àquele passado

Num distante e difuso pretérito quando,
O que esperar do futuro não se sabia
Da mão para boca era o pobre dia-a-dia
O que não obstava de se viver sonhando,

Porque aquele vital existir era brando,
E tudo que era visto a gente conhecia
Se deitava à noite, no leito amanhecia
Enquanto uma vidinha modesta ia rolando.

O aconchego na família envolto existia
Pois então cada conhecido bom amigo era
Sonho de ser muito feliz solto corria.

Exatamente de acordo como se espera
Superava o desassossego, nossa alegria
Um planeta feliz, numa mais feliz era.

quarta-feira, 22 de março de 2017

22/03 Dia mundial da água

Há um bem que seu valor não se pode medir
Onde escasseia nos mostra a falta que faz
Jaz no solo, ou vive nos rios a fluir
E de transformar a nossa vida é capaz

É a água, esse líquido tão comum e vital
Dado que sem ele não existirá vida
Implica que é tremendamente especial
Assim, sem água não temos qualquer saída.

Dia virá que a poluição deste Planeta
Atinge toda a água que nos dá sustento
Água podre será nossa brutal grilheta.

Graças aos viventes está perto o momento
Uns malucos a tentar água de proveta
Agora, num Planeta em desmoronamento.

terça-feira, 21 de março de 2017

Rememorando

Olho para trás e as vezes sinto saudades
Das histórias, dos eventos e dos caminhos
Sei, não foi um paraíso de felicidades
Havia muitas rosas, milhares de espinhos.

Mas, marcaram de sobejo, tantas bondades
A natureza, rios, aves, seus nos ninhos
É fácil esquecer traições e falsidades
E que nessa estrada não estamos sozinhos.

Agora meu semblante assim meio tristonho
E meu sentimento pelo mundo espalhado
É pragmática existência reduz o sonho.

As vezes uma incômoda cota de agrura
Deixa impressão à minha vida ter chegado
Bloqueando a querida e benvinda ventura.

segunda-feira, 20 de março de 2017

É a vida?

Moribundo e engastado no último leito
Medita quieto sobre esta obscenidade:
Viver comedido e pregando a piedade,
Em todos seus gestos quis ser perfeito.

Mas o caminho do céu parece estreito
Consiste em disciplinar a humanidade
Pouco vale a mentira como a verdade,
Pobres os que creem naquele conceito.

Quando morte vem buscar as coitadas
Dizem que pelo céu foram convocadas
E cada uma, então, mostra-se serena.

Mas, acabam percebendo lentamente
Que foram logradas, como toda gente
E que o céu as julgará dignas de pena!