segunda-feira, 18 de junho de 2018

Na Rússia

Brasucas  e  suíços  prontos  pra batalha,
muito preparados para  aquela  dura  liça;
e cada qual crendo que na hora não falha,
jogando  com  força  tenaz e sem preguiça.

Então, com eles nenhuma  jogada encalha,
pois sabem que não estão assistindo missa;
que   chutando  no  gol  a  rede farfalha,
e quem marca mais golos, vence por justiça.

Eis que, quando naquela rede a bola malha
fortes  paixões  das  torcidas por certo atiça
então,  esperança  nos  torcedores se espalha.

Porque todo  mundo aquela taça  cobiça,
ganha quem não pensa em pedir a toalha,
e acaba que  Brasil não carcou na Suíça,

domingo, 17 de junho de 2018

E assim caminha a humanidade...

Pra sobreviver, o Homo em esforços ingentes,
contra intempéries formidáveis, inclementes;
unindo com inteligência os homens todos,
independentes das origens ou apodos.

Quem os chama daquela pobre gente inculta,
certamente a rica história deles insulta;
então dá as costas à própria sociedade,
a qual foi construída pela antiguidade.

O Homo sapiens nunca foi fraco e inerme,
e, supostamente, se o fosse era um verme,
porém hoje, este homem não rasteja, voa.

Então, a tese que o denigre se esboroa,
e esta criatura do pó de estrelas, vence,
embora, as vezes, com certo jeitão non sense.

sábado, 16 de junho de 2018

Palavras

Vale apenas o que uma palavra determina,
conceito universal, valendo aqui ou na China;
o vate, as vezes, explora outra conotação,
pois é criador, como tantos outros são.

E uma palavra expressada jamais se cala.
pelo contrário, serve também como bengala,
se quisermos significado mais profundo;
para explorar certas nuanças deste mundo.

Uma estrutura de vogais e consoantes,
palavras não são mudas são altissonantes,
mesmo, que as vezes, carregadas pelo vento.

Contudo, só expressam o nosso pensamento,
e se espalham pelo Planeta, em todo canto,
definindo tudo, de horrores a encanto.

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Homo sapiens

Por milênios, no planeta o Homo foi forte,
ocupar cada vez mais espaço se atreve;
então nessa existência ainda tão breve,
fez-se presente do sul, ao centro, ao norte.

Foi ocupando obstinado, num passo bem leve,
enfrentando perigos de lesão até morte;
então por sequer ter um elevado porte,
aprendeu a viver do sol tropical à neve.

Daí inventou tudo, da agulha ao navio,
teve, mesmo que subjugar pavor e medo,
inventar indumentos prá combater frio.

Para sobreviver levantar muito cedo,
e habitar sempre bem próximo a um rio,
porém nunca permanecer parado, quedo.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

A noite e o poeta

Deslumbrado, a noite calma, o vate cultua,
fazendo seus versos esperando mais dela;
nas rimas, um profundo desvelo revela,
quedo, pensando e triste no meio da rua.

Tendo como única testemunha aquela lua,
refletindo na vidraça alta da janela;
a Selene tem completa noção que é bela,
enquanto no firmamento etérea flutua.

O vate assume as belezas como poderosas,
simplesmente todas, até as nebulosas,
que dominam firmamento em toda amplidão.

E, mesmo, ali está invadido pelo luar,
que, mesmerizante, obriga-o a versejar,
então chora, humilhado pela imposição.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

O Universo

Se o maravilhoso universo te arrebata,
preenche de visões tua mente sedenta;
transformando suas convicções em tormenta,
sejas bem vindo! fazes parte duma nata.

Porquanto o cosmos nosso cérebro retrata,
reprodução é, mas assim mais violenta;
é natureza negra nos tons de magenta,
as vezes clara, argêntea como prata.

Entenda, sobre o cosmos não temos ação,
ele somente nos contém e nos carrega,
mas, deixa-nos livres na nossa presunção.

E mais, seus segredos ele jamais entrega,
pois estes, as estrelas os carregarão,
e cada estrela falar conosco se nega.

terça-feira, 12 de junho de 2018

Conviver


Passemos pelo mundo sem causar desdouro,
de nossa obra, importa apenas o conteúdo;
então recordemos que ninguém sabe tudo,
mas o que aprendermos deve ser duradouro.

Não importa a roupa, se de seda, ou couro,
somente aquilo que sabes será teu escudo;
pois tu serás somente o que sabes, contudo,
o que não tens é prata, o que tens é ouro.

Sejamos ativos numa sã convivência,
àqueles que discordam demos atenção,
e que nessas relações tenhamos tenência.

E demos valor ao sim tanto quanto ao não,
equilíbrio, este é nome dessa ciência,
pois assim, as coisas de vento em popa irão.