quinta-feira, 29 de maio de 2014

Calha que é assim

A verdade que esta vida é batalha
Inicia ao nascermos e não tem fim
Por derradeiro vestimos a mortalha
E para todo o sempre vai ser assim

Enquanto o ruído da vida farfalha
Dizendo para que este mundo vim
Não importa se nobre ou gentalha
Lutar pela vida não deve ser ruim.

Faça grandes atos ou seja chinfrim
Entretanto jamais uma vil escumalha
Energúmeno digno de comer capim.

Lembre-se que tudo que você valha
Bem aparecerá através de seu latim
De maneira que fama você amealha.

Um comentário:

  1. Muito bom, amigo poeta Jair. Um abraço. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderExcluir