quinta-feira, 3 de julho de 2014

Viveneno

Você, antítese da proverbial andorinha
Não traz verão, lhe acompanha inverno
Quando chegou não disse donde vinha
Mas certamente parece ser do inferno

Este seu olhar que por detrás me fita
Enfeitiça qualquer alma simplesmente
Lembrando, como todo mundo acredita
Que você carrega os ovos da serpente

Se é bom com você, bem melhor sem
Arrepio-me quando você se aproxima
Vai-te embora para sempre meu bem!

Além de tudo é pior que minha prima
Naturalmente pois a pergunta me vem:
Prá que serve nome que não dá rima?

Um comentário:

  1. Eis um poema de antíteses, meu poeta! Um abração. Tenhas um bom dia.

    ResponderExcluir