terça-feira, 1 de novembro de 2016

Tributo a Bocage

Se tua boca põe no bocal da corneta,
E, por tal, jamais te julgam libidinoso
Poeta, porquanto chupar uma boceta
É tão mais salutar e até mais gostoso.
    
E, como sabes, toda foda não tem treta
Mais que mera trepada, vale mesmo o gozo
Então, invés de uma solitária punheta
Empenhe-se pois num boquete caprichoso.

Há que ter em mente: não existe restrição
Pois, no confronto fodal passa a valer tudo
Sem essa de, a isto ou aquilo dizer não.

Se ela deve abocanhar o pau cabeludo
Porque evitar tua língua naquele vão?
Erótico, mágico e macio tal veludo?

Um comentário:

  1. Pois então, meu caro poeta Jair. Um abraço. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderExcluir