terça-feira, 8 de novembro de 2016

Insensatez


Quando o homem é superficial, cutâneo
Quando de seus argumentos falhos se serve
Deixando aparente que nada tem no crânio
Não existe razão para crer na sua verve.

E quando falando alto como a soprar trompas 
Num espetáculo de frenesi estupendo
Como se todo mundo lhe devesse pompas
Parece um palhaço que não está se vendo.

Com esforço, seu sangue flui pelas artérias
Enquanto o néscio ignora todas misérias
Porém afirma ser pregador do futuro.

Esse é Donald Trump na sua melhor forma
O qual tem dedo no gatilho como norma
E almeja um planeta bem mais inseguro.

6 comentários:

  1. Pois é caro amigo poeta Jair, fico pensando, às vezes, que o povo americano também não raciocina muito, haja vista o elevado percentual de adeptos, pois a candidata democrata deverá vencer o pleito com uma margem pequena. Tu disseste que o homem é superficial, pois digo que é arestal.
    Um abraço. Tenhas um bom dia.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, olha as escolhas dos gringos! Os dois candidatos... E também sabem fazer barraco... Se Trump vencer será a alegria dos jornalistas... Terão matéria infinita. A Hillary é outra incógnita.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Mas como é complicada a eleição nos Estados Unidos! Tentei entender os tais de delegados, os Estados fortes, nada pesa se um candidato fizer mais votos do que o outro... Cruzes, desisti de entender. Eu e mais milhões!! rss, cruzes.
    Espero você ter entendido!!

    ResponderExcluir
  4. Pois é Taís, lá existem, como você disse, estados "fortes" e outros nem tanto. Esta discriminação vem desde a independência e é complicado entende-la mesmo. Veja você, existem doze estados autorizados a emitir dinheiro, os outros tinta e oito não podem. E assim vai. Mas se lembrar-mos que, inicialmente (antes de existir um governo central de fato), era as famosas treze colônias que definiam a expressão "Unites States of America" e as demais colônias pegaram carona para formar o o país que é hoje, dá para começar a ver porque todos os Estados são iguais, mas uns são mais iguais que outros. Complexidade é com eles mesmos!

    ResponderExcluir
  5. "outros trinta e oito não podem..."

    ResponderExcluir
  6. Tudo bem, agradeço a sua explicação, Jair, mas continua muito complicado, até agora continuam contabilizando o resultado, ainda não terminou a gororoba e todos já festejaram! Coisa de louco... E dizem que é o povo mais prático.
    Eles lá com suas táticas eleitorais e nós aqui com nossos trinta e tantos partidos! Algo surreal!

    ResponderExcluir