quarta-feira, 10 de maio de 2017

Homo

O homo ignora natureza que o gerou
A qual lhe deu boas condições de crescer
E que criou este Planeta que o embalou
Planeta que certo dia o verá fenecer.

Local que criou canção que o acalentou
Avor da resplandecência do alvorecer
E o sol cuja luz o Planeta iluminou
De maneira que essas belezas possa ver.

Depois fez outros seres para se amarem
Para então em perfeita comunhão ficarem
Em conluio formidável deles somente.

E liberdade pra fazer o que quiser
Pra companhia do macho fez a Mulher
Na sequência mandou-os seguir para frente.

Um comentário:

  1. Esse homo, meu caro poeta Jair!
    Um abraço. Tenhas uma ótima tarde.

    ResponderExcluir