quinta-feira, 23 de abril de 2015

Dia 23 de abril.


Hoje o livro é saudado mundialmente
Que sem dúvida esse objeto merece
Nenhum artefato fez mais pela gente
Então para ele elevamos uma prece.

Viva o livro, tão pródigo, tão modesto
Mesmo que existam outras maneiras
De informar sobre conquistas e o resto.
Esse que já foi cremado em fogueiras.

Meios eletrônicos vieram para ficar
Porém, livro continua na prateleira
Pois algo jamais ocupará seu lugar.

Então, tirem de seu livros a poeira
Sente-se numa cadeira de espaldar
Leiam-nos debaixo de uma figueira.

5 comentários:

  1. Caro amigo poeta Jair, saudemos Sua Majestade, o Livro Pois eu li em baixo de árvores e trepado na figueira do pomar, na adolescência,sobretudo naqueles dias de neblina, aquela chuvinha muito fina que não passava por entre as folhas. Um abração.
    Tenhas um ótimo dia.

    ResponderExcluir
  2. Oi Jair
    Eu leio muito, tenho muitos livros. Tenho um gosto eclético.
    Ontem postei um comentário no seu outro blog: in-Antenado e não saiu. Por que?
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou colaborador desse in-Antenado, lamento.

      Excluir
  3. Concordo consigo, amigo. Nada substitui um bom livro.
    Beijo.

    ResponderExcluir

  4. Oi, Jair,
    Está aí algo que lamentaria se acontecesse: o rádio desapareceria devido à televisão; a televisão cairia muito com a Internet; o livro cederia lugar para os virtuais. Nada disso aconteceu, O rádio está à mil, a televisão continua como sempre. Apenas mais um meio de comunicação e interação - a internet.
    Viva o livro! Nada como tê-lo na mão.
    Abraços, amigo!

    ResponderExcluir