segunda-feira, 13 de abril de 2015

Rimando por aí

Rimar é coisa à toa, contudo tem graça 
Dá cadência ao verso e um ritmo traça
É como as brilhantes tintas de aquarela
As quais compõe paisagem de certa tela.

Ainda que rimar facilmente pois se faça
Não é atributo de todo mundo, da massa
Rima melhor artista apaixonado por ela
Que a seus sentimentos vai dando trela.

Quando existe palavras de rima escassa
O destino dalgum vate limitado então sela
E ao deparar-se com elas o poeta passa.

Fecundo é o aedo que boas rimas atrela
E um tema bem desenvolvido ele abraça
Porque compondo, jamais se descabela.

4 comentários:

  1. Belo soneto; se rimares assim por aí, com certeza, muitos se agradarão...
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto de rimar, e gostei do soneto bem rimado.
    Parabéns rimar parece fácil mas não é, creio que já se nasce com esse dom.

    ResponderExcluir
  3. Oi Jair, não gosto de rimar(não é obrigatório), mas muitas vezes rimo. Rima tem que ter sonoridade. Só terminações iguais, meu Deus fica terrível.
    Obrigada pelos sonetos que me manda rimadinhos.
    Beijos no coração

    ResponderExcluir