sexta-feira, 5 de junho de 2015

Catastrofismo

05/06 - Dia do meio ambiente

Depois que a natureza criou a vida
Instalou o Homo sapiens ali no meio
Agora tudo bem, missão cumprida!
Mas o homem não disse a que veio.

Unidos bichos e plantas em seguida
Nunca se desvirtuaram, assim creio
Dividiam o espaço em razão contida
Indiferentes sem qualquer manuseio.

Ali era um paraíso de larga avenida
Ladeada de árvores com sombreio
Dúvida não havia, farta era comida
Ouvindo-se dos pássaros o chilreio.

Mas homem não desejava harmonia
Ele se achava o dono desse pedaço
Insuflou morte e desdita onde queria
O dono sou eu, o que quero eu faço!

Assim morte da mata e esgoto fedia
Milhares de seres não deixam traço
Babaca, ele não percebe o que viria:
Inabitável Planeta de vida escasso.

E agora José, qual o próximo passo?
Nada restará dessa vida de única via
Tudo que existe conhecerá o fracasso
Em terra arrasada nenhuma ave pia.

3 comentários:

  1. Sim, acho que o pecado original é esses estragos que o homem faz.

    ResponderExcluir
  2. E agora José?
    Aqui pelo sítio tentamos muito que as pessoas possam realmente cuidar não só do que é seu; mas ver o pedaço como um todo.
    É bem difícil.
    Há muitos moradores de final de semana como tbm á aqueles que moram.
    A grande briga são as piscinas; o gasto de água é imenso.
    Essa é a grande verdade: "Em terra arrasada nenhuma ave pia". bonito e ao mesmo tempo triste.
    Obrigada pela visita lá na casa respondi ao seu comentário; volte sempre quando quiser.
    Adorei conhecer.
    Janicce.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, caro amigo poeta Jair, o homem está sempre a exigir direitos, entretanto, não respeito o direito do outro, o direito dos bichos, o direito do planeta seguir em frente...
    Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir