sábado, 11 de julho de 2015

Tempo


Mas, que adianta litigar com destemor
Contra o tempo, esse implacável tirano
Que nos inflige desgaste, doença e dor
E os pés torna mais lentos a cada ano?

Se ignorarmos o tempo seremos felizes,
Essa entidade que no jardim abre a flor
Pois vamos cuidando de nossos narizes
E deixemos esse ente correr pra onde for.

Então, cuidemos para que a nossa vida
Apesar do tempo e dos percalços, siga
Porquanto sabemos que é rua só de ida.

Apesar do que alguém por aí ainda diga
Que o tempo é entidade doida, varrida
E que ser produtivos sempre nos obriga.

Um comentário:

  1. Acho que te vi jogando tênis uma vez, e disseste que o corpo já não respondia com a mesma velocidade os comandos do cérebro.

    ResponderExcluir